Governança Corporativa

Para estar alinhada às melhores práticas de governança corporativa, a Fibra trabalha no aperfeiçoamento contínuo de seu sistema de gestão. O objetivo é manter e garantir transparência e respeito dos participantes e assistidos. Isso envolve prestação de contas e responsabilidade sobre os aspectos econômico-financeiros, sociais e ambientais.

Também norteiam sua atuação, o respeito à legislação e normas, ao Estatuto e todos os dispositivos de caráter interno aprovados pelos Conselhos Deliberativos e Fiscal, Comitê de Investimentos e Diretoria Executiva.

Princípios

Transparência

A Fibra divulga, de forma clara e objetiva, todas as informações através do Relatório Anual de Informações (RAI), uma prestação de contas detalhada aos participantes. O documento inclui aspectos legais e fatos relevantes, bem como temas importantes de gestão, responsabilidade social, política de recursos humanos e outros.

Além disso, a Fibra possui um Código de Ética, utiliza ferramentas de Gestão de Riscos e de Gestão da Qualidade, e mantém um canal formal de comunicação com seus funcionários, de forma a disseminar todas as práticas necessárias à sua gestão.

Equidade

As relações da Fibra, interna ou externa, são permeadas pelos ideais de integridade, honestidade e transparência, orientados pelo reconhecimento dos direitos de cada um, cabendo aos empregados, bem como conselheiros, dirigentes e prestadores de serviços, praticá-las.

Desse modo a Fundação conquistou, ao longo dos anos, a equidade entre funcionários, áreas de trabalho, com participantes, assistidos e beneficiários. Da mesma forma, mantém essa relação com a patrocinadora, órgãos reguladores e fiscalizadores, fornecedores e prestadores de serviços, com outros fundos de pensão e sociedade em geral.

Responsabilidade corporativa

A Fibra tem o compromisso de garantir a sustentabilidade e perenidade do Plano de Previdência, proporcionando segurança aos participantes, assistidos e à Patrocinadora, através de uma política de investimentos e de gestão eficaz. Suas decisões são embasadas em padrões elevados de Governança, com atuação efetiva de seu Colegiado.

Para proporcionar confiança nos modelos adotados, utiliza-se de gestão de riscos, indicadores de resultados e monitoramento constante de seus investimentos.

Segregação de funções

É essencial para a efetividade dos controles internos. Ela reduz tanto o risco de falha humana quanto o risco de ações indesejadas. Contabilidade e conciliação, informação e autorização, custódia e inventário, contratação e pagamento, administração de recursos próprios e de terceiros, gestão de riscos e auditoria devem estar segregadas entre os funcionários.

Partes interessadas

São partes interessadas no sucesso das atividades da Fundação Itaipu e os aspectos relacionados ao seu interesse na instituição:

Patrocinadores

  • Preocupação com a segurança e qualidade de vida dos colaboradores da Fundação
  • Engajamento dos colaboradores com o direcionamento estratégico da Fibra
  • Administração dos recursos com a garantia de preservação dos valores do negócio

Participantes

  • Garantia dos benefícios previdenciários
  • Contribuição para o desenvolvimento pessoal e bem-estar individual e familiar
  • Melhoria do relacionamento com a organização
  • Facilidade de acesso às informações
  • Custo competitivo

Colaboradores

  • Estabilidade
  • Remuneração
  • Segurança
  • Desenvolvimento

Prestadores de serviços

  • Otimização e racionalização dos processos mapeados
  • Eficiência
  • Pontualidade
  • Transparência

Órgãos públicos, entidades classistas do sistema, instituições financeiras, sindicatos e fundos de pensão congêneres

  • Cumprimento das normativas do segmento
  • Tributos
  • Desenvolvimento sustentável
  • Respeito às leis e regulamentos
  • Fomento à economia
Aviso direitos autorais